Opinião: Pesquisa Ipec aponta que qualquer um pode ir pro segundo turno com Marília

 


F

altando 11 dias para as eleições a pesquisa IPEC de hoje (21/09) coloca dúvida de quem vai disputar o segundo turno com a candidata do Solidariedade, Marília Arraes.

Ela pode enfrentar Miguel Coelho do União Brasil, Danilo Cabral do PSB, Raquel Lyra do PSDB ou Anderson Ferreira do PL.

Seguindo a lógica e entendendo que tudo pode surpreender e de forma subjetiva opinar, Danilo Cabral pode ser a companhia na disputa do segundo turno com Marília Arraes, o que para alguns torna o embate menos concorrido para a candidata do SD.

Se por acaso, Anderson Ferreira (PL) ultrapassar os outros concorrentes e chegar ao segundo turno, ele terá uma dificuldade por ser associado e candidato do Presidente Bolsonaro que no Estado de Pernambuco tem uma rejeição grande e pode ser o obstáculo para ele conseguir vencer Marília.

Já se Raquel Lyra (PSDB) conseguir embarcar no segundo turno para enfrentar Marília Arraes, mesmo a pesquisa apontando uma vitória da candidata do Solidariedade, a disputa não será fácil como se imagina.

Se Miguel Coelho (UB) que não aparece na simulação do segundo turno (assim como Danilo Cabral) se manter no equilíbrio do empate técnico com os outros concorrentes ao segundo lugar, o que pode pesar (e as pesquisas apontam esse recorte) é que ele ainda é apenas mais competitivo no Sertão do São Francisco e precisaria ampliar sua musculatura para o restante do Estado, o que não é impossível pelo fôlego garantido com a pesquisa Ipec de hoje.

O candidato socialista Danilo Cabral (PSB) segue no embalo da rejeição do Governo de Pernambuco, Paulo Câmara, que atingiu 56% e o coloca na berlinda dessa rejeição. O seu salvo-conduto tem sido o apoio do candidato a presidente Lula e os ataques ao atual presidente Bolsonaro, porque proposta realista mesmo quem pode mesmo emplacar, eu diria que apenas um candidato traz no seu programa o que pode de verdade sair do papel. O resto é balela e discurso para agradar gregos e troianos.

A próxima pesquisa, que certamente será o último recorte de simulações para ver quem seguirá rumo ao segundo turno para enfrentar Marília Arraes, mostrará qual será a surpresa ou se o candidato do governo pode fazer companhia a candidata na reta final.

O jogo do segundo turno é uma incógnita

Postar um comentário

0 Comentários