About Me

Lula se solidariza com Ciro Gomes após ele ser alvo da PF e FBC deixa liderança do governo no Senado. Estranho?



O

 ex-presidente Lula (PT) saiu em defesa de Ciro Gomes (PDT), após o pré-candidato ter sido alvo de uma Operação da Polícia Federal que apura supostos desvios na construção do Estádio Castelão, no Ceará, entre 2010 e 2013. O irmão de Ciro, o senador Cid Gomes e outras 12 pessoas também foram alvos da Polícia Federal. 

O Senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) entregou nesta manhã de quarta-feira (15) o cargo de líder do governo no Senado. Só faltou o ex-presidente Lula também se solidarizar com o fato de o Senador ter sido “supostamente traído” pelo presidente da República Jair Bolsonaro (PL). 

A não indicação do Senador FBC (MDB-PE) ao TCU quando ele disputava uma vaga com Antonio Anastasia (PSD-MG) e Kátia Abreu (PP-TO) soou como pretexto para se debandar e não associar as candidaturas dos filhos ao presidente Jair Bolsonaro (PL).  

No Twitter (abaixo) a demonstração de afago entre Ciro e Lula é prova de um estranho jogo de conversa de bastidores política que deixa muita coisa solta no ar, mas que eles podem tratar como respeito. Lembrando que no dia 15 de dezembro no Programa do Datena na Rádio Bandeirantes, Ciro chamou Lula e Bolsonaro de "ASSALTANTES", ao comentar a operação da Polícia Federal onde ele e seu irmão, Cid Gomes (PDT), são alvos. 

O estranho é quando o ex-presidente usa de sua empáfia, sempre que a polícia encurrala um político para atacar a justiça. Tudo isso, graça ao fúnebre enterro da maior operação já desencadeada no país e da qual o presidente era suspeito de “formação de quadrilha” que saqueou os cofres públicos nos anos em que o Partido dos Trabalhadores foi governo e que, o ex-juiz Sérgio Moro, pré-candidato a presidente pelo Podemos, ajudou a acelerar e diminuir as ações e o poder da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. O ex-presidente Lula sempre tratou a PF e o MPF como os covardes, porque estavam em um caminho em que muito dinheiro dos cofres foram desviados descaradamente e, agora os culpados, assim como o ex-sindicalista, estão sendo soltos porque Moro resolveu cuidar das ações ao seu bel-prazer. 

Agora virou moda e reclame entre a classe política que toda vez que um deles é alvo de operação policial diz se tratar de perseguição política e o ex-presidente Lula tem sido a voz soante para descredibilizar a PF. 

Agora o ex-presidente que vive em um céu de brigadeiro por conta das “pesquisas” que sempre o colocam no topo, acredita que no próximo ano, parte dos brasileiros vai esquecer da maior roubalheira que inclusive foi comprovada por seus militantes, ministros, amigos, empreiteiros, não vai vir à tona quando o debate político aparecer na televisão e nos confrontos nas ruas e nos palanques. 

O ex-presidente pode sim, se aproveitar das gafes e das trapalhadas de um presidente que também não consegue dialogar nem com a própria imagem do espelho. 

E para suspeitar das ações espontâneas desta quarta-feira (15), FBC que sempre foi mais ajustado com os ideais lulista e pode dizer que não saiu das bases do governo atual, deixa uma lacuna também nos ajustes que podem ser feitos na conjuntura estadual, já que Miguel Coelho (DEM) não tem sido o favorito como pré-candidato ao governo do Estado da oposição e com essas novidades, pode acender um alerta de que outros caminhos podem ser pavimentados para que o prefeito de Petrolina possa trilhar. 

Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos.


Postar um comentário

0 Comentários