HISTÓRIA DE ARARIPINA: OS HOMENS QUE GOVERNARAM ARARIPINA

ARARIPINA - ACERVO HISTÓRICO
m setembro deste ano o Município de Araripina, no Sertão de Pernambuco, vai completar 90 anos de história da sua emancipação política e muitos gargalos que podem virar centenário foram deixados para serem resolvidos como que empurrados de gestão em gestão. Socialmente os políticos e as grandes famílias que sempre detiveram o poder têm uma dívida enorme com o nosso povo, que sempre ficou à mercê de decisão desta parcela mais importante e mais influente político e economicamente do Município, e não estamos inventando ou montando fatos, porque a própria árvore genealógica do poder pode muito bem demonstrar isso.

Em pleno século XXI ainda assistimos as motivações políticas ancoradas em ideias ultrapassadas que na era da tecnologia da informação, das redes sociais, da evolução dos conceitos, das praticidades, da gestão moderna, ainda permeiam absoluta. Vamos seguir buscando lentamente o nosso papel de protagonista na Região do Araripe como cidade que ainda mantém sua coroa como Princesa do Sertão e Terra do Ouro Branco, mas dividindo com as outras cidades os mesmos dilemas que deviam através de um consórcio figurativo (CISAPE) buscar sintonia com a realidade e tentar fazer com que os governos metropolitanos, e não estou falando só do atual (o socialista Paulo Câmara), tenha um olhar mais humano e solidário com Araripina e claro, com as cidades coirmãs que a maioria dos políticos da região tentam tratar de forma inamistosa. Perdem todos.

Muitas dúvidas pairam sobre quem foi o primeiro prefeito de Araripina, mas a história consuma os fatos de que Francisco da Rosa Muniz, o Chiquinho Cícero, não foi o primeiro prefeito, mas o principal mentor e protagonista, um dos emancipacionistas juntamente com Joaquim Modesto, Severo Cordeiro dos Santos, Antônio Modesto e Totonho Cícero (seu irmão) e quem lançou o movimento para conquistar a tão desejada independência da vila que se transformaria em cidade através uma lei que seria sancionada pelo Governado à época, Estácio Coimbra.

Passou-se ainda mais de um ano, para que Chico Cícero recebesse outro telegrama do Dr. Adams, transmitindo a notícia de que o Governador sancionara a lei, criando o Município de São Gonçalo. Saiu Chico Cícero de casa em casa da agora CIDADE, mostrando e lendo o telegrama. O sonho de todos se transformara em realidade. “Aí que o povo ficou alegre”, diz ele do alto dos seus noventa anos, com uma ponta de nostalgia.

(Fonte - Livro - Araripina – História, Fatos & Reminiscências – De Francisco Muniz Arraes )

Vamos a relação dos prefeitos de Araripina

A Lei nº 1.931/28 determinava que a administração dos municípios novos só se iniciaria em 1º  de janeiro de 1929. As eleições aconteceram em 30 de setembro de 1928.

Primeira administração

Joaquim José Modesto - 1929/1932

Com o advento da Revolução de 30, foram dissolvidos todos os Conselhos Municipais e demitidos muitos prefeitos eleitos em 1929. Joaquim Modesto, por ter sido aliado de Lima Cavalcante, permaneceu no cargo.

Por ordem do interventor, foi prorrogado para o exercício de 1931 o orçamento de 1930. O controle financeiro das prefeituras passou a ser feito pelo Departamento de Administração Municipal e era rigorosamente fiscalizado.

Joaquim Modesto foi exonerado, a pedido, pelo Ato nº 446, de 13.02.32, sendo substituído por Francisco da Rosa Muniz, começando a fase dos prefeitos nomeados.

(Fonte - Livro - Araripina – História, Fatos & Reminiscências – De Francisco Muniz Arraes )

Prefeitos Nomeados

1.  Francisco da Rosa Muniz (Chico Cícero) – (13/041932- 22/08/1934)
2.  João Cavalcanti Lima – (1934/1935)
3.  Joaquim Alexandre Arraes (Major Quincó) – (29 de maio a 05 de Julho de 1935)
4.  José Deodato Santiago (Zé Bringel) – (1935/1937)

OBS: E
m 05 de julho de 1935, o Interventor Federal baixa o Ato de n.º 549, pelo qual exonera, a pedido, Joaquim Alexandre Arraes do cargo de Prefeito de São Gonçalo e nomeia para substituí-lo José Deodato Santiago, Zé Bringel

Aqui se estabelece uma confusão, em relação ao prefeito. Zé Bringel foi nomeado, mas quem tomou posse foi o seu pai, Deodato Pereira Santiago, Senhor Bringel, conforme consta do termo lavrado em 09 de julho de 1935.

Em 12 de julho, Zé Bringel assume a Prefeitura, embora não conste o registro do termo de posse.

5.  Joaquim Alexandre Arraes – (10/12/1937- 06/09/1938)
6.  Manoel Ramos de Barros – Seu Né Ramos (06/09/1938-15/12/1939)
7.  José Araújo Lima (Dr. Araújo) – (15/12/1939 - 29/11/1946)
8. Ademar Alves de Freitas – (9/11/1946 - 30/04/1947)
9. Rubem Neri da Silva – (de abril a agosto de 1947)
10.             Luiz Gonzaga Duarte – (de agosto a novembro  de 1947)

Aproximava-se a eleição municipal. Os udenistas estavam com a Prefeitura, o que representava perigo para as aspirações do pessedismo local. Era urgente modificar a situação. Em princípio de agosto, é nomeado prefeito o pessedista Luiz Gonzaga Duarte. Agora, era o reverso da medalha, na movimentação do funcionalismo municipal, com o favorecimento aos barnabés da corrente do prefeito.

A disputa foi acirrada. Era o batismo de fogo das forças políticas locais. O PSD vencera as eleições de presidente da República e de Governador do Estado e precisava manter a hegemonia. Venceu o candidato do PSD, Manoel Ramos de Barros, tomando posse no dia 13 de novembro de 1947.  

Encerrava-se o período dos prefeitos nomeados, iniciado em 1932, com Francisco da Rosa Muniz(Fonte: Livro: Araripina -  História – Fatos & Reminiscências – de Francisco Muniz Arraes)

Prefeitos Eleitos “Democraticamente”

1.   Manoel Ramos de Barros (Seu Né Ramos - PSD) – (26/10/1947-10/1951)
2.   Luiz Gonzaga Duarte – (Seu Gonzaga - PSD) – (1951/1955)
3.   Joaquim Pereira Lima (Quinca Livino - PSD) – (1955/1959)
4.   Manoel Ramos de Barros – PSD -(1959/1963)
5.   Sebastião Batista Modesto (Sebasto - PTB) – (1963/1968)

Obs: O golpe militar de 1964 não atingiu a administração de Sebasto. A legislação revolucionária prorrogou o mandato dos prefeitos, para estabelecer a coincidência das eleições municipais, que realizariam em 15 de novembro de 1968.

6.   Raimundo Batista de Lima (Dosa - ARENA) – (1969/1972)
7.   Sebastião Batista Modesto – ARENA - (1973/1976)
8.   Pedro Alves Batista (Dr. Pedro - ARENA) – (1977/1983)
OBS: A legislação federal prorrogou mais uma vez o mandato dos prefeitos e vereadores até 31 de janeiro de 1983.
9.   José Valmir Ramos Lacerda – (Dr. Valmir - PSD ) - (1983/1989)
10.               Valdemir Batista de Souza (Dr. Mimi) – (1989/1992)
11.               Maria Dionéa de Andrade Lacerda (Dra. Dionéa) – (1993/1996)
12.               Emanuel Santiago Alencar (Bringel - PSDB) – (1997/2000)
13.               Emanuel Santiago Alencar (Bringel - PSDB) – (2001/2004)
14.               Valdeir Batista de Souza – (2005/2008)
15.               Luiz Wilson Ulisses Sampaio (Lula Sampaio - PTB) – (2009-2011)
16.               Alexandre José Alencar Arraes (Alexandre Arraes - PSB) Prefeito Interino – (de 13 de Dezembro de 2011 a 18 de junho de 2012).
17.               Adalberto Freitas Ferreira (Coronel Adalberto Freitas – Interventor Estadual) – (14 de setembro a 31 de dezembro de 2012)

Obs: Período turbulento e de instabilidade política vivido pelo município com o afastamento por 180 dias do prefeito Lula Sampaio por improbidade administrativa em 12 de dezembro de 2011, assumindo interinamente o vice-prefeito Alexandre Arraes.

Quando terminou o prazo de 6 meses de afastamento de Lula Sampaio que ainda recebe decisão favorável da Justiça de voltar ao cargo por duas vezes, o Tribunal de Justiça de Pernambuco decide pôr um fim ao dilema e recomenda a intervenção no Município.

18. Alexandre José Alencar Arraes – PSB - (2013/2016)
19. José Raimundo Pimentel do Espírito Santo (2017- )

Alguns dados ainda precisam ser catalogados e atualizados para que juntamente com a maior fonte de pesquisa sobre o Município (O LIVRO – ARARIPINA – HISTÓRIA, FATOS E REMINISCÊNCIAS – DE FRANCISCO MUNIZ ARRAES) a ideia de continuar pensando em conquistar adeptos para incluir a história de Araripina no nosso curricular escolar, nas nossas unidades de ensino municipal continua.

Breve em uma síntese mais aprofundada, destacaremos aqui neste caderno digital, as principais realizações de cada administração municipal, desde os prefeitos nomeados até os eleitos democraticamente, para assim ampliar o nosso leque de informação, quanto cada época, cada governante, contribuiu para o crescimento, desenvolvimento e engrandecimento desta terra.
Vamos também rebuscar na história os partidos (os primeiros e os atuais) que fincaram suas doutrinas e suas raízes aqui no nosso município.
“A história é complexa, posso contar do meu jeito, do seu jeito, do nosso jeito, mas sempre será história”.
O editor.

Postar um comentário

0 Comentários